Dr. Luís Vicente é o próximo Presidente do Congresso da ESGE
Publicado a 13-12-2021

"Mais que uma conquista, é um privilégio para o nosso país receber o 31.º Congresso Anual da Sociedade Europeia de Ginecologia Endoscópica (ESGE)", afirma o ginecologista Luís Ferreira Vicente, presidente do congresso, que decorrerá em Lisboa, entre os dias 2 e 5 de outubro de 2022.

Em declarações à Just News, o médico salienta que a "Ginecologia Portuguesa sai prestigiada e reconhecida", ficando evidente que "os nossos profissionais são realmente reconhecidos internacionalmente."

Luís Ferreira Vicente, que preside precisamente à Secção de Endoscopia da Sociedade Portuguesa de Ginecologia, recorda que "a formação na área da Ginecologia já compreende as áreas da endoscopia e cirurgia minimamente invasiva, o que contribui para a qualidade dos cuidados de saúde prestados em Portugal".

Desta forma, "o trabalho já iniciado irá ser importante para que Portugal fique reconhecido na História dos Congressos da ESGE".

Divulgação da endoscopia ginecológica

A promoção das técnicas endoscópicas ginecológicas tem sido o objetivo principal da Secção de Endoscopia da Sociedade Portuguesa de Ginecologia.

"Desde há vários anos que todas as Direcções da Secção de Endoscopia contribuíram para que o panorama da Cirurgia minimamente invasiva e técnicas endoscópicas tenha mudado radicalmente em Portugal", refere Luís Ferreira Vicente.

E acrescenta: "Foram pioneiros neste ensino, o Prof João Luís Silva Carvalho e o Dr. Alberto Fradique. O entusiasmo deles na formação foi extraordinário, na realização de Cursos e Congressos, numa altura em que a endoscopia era inexistente no nosso país. Neste ano, perdemos a presença do Dr. Alberto Fradique, mas é justíssima a homenagem ao seu pioneirismo e entusiasmo na divulgação da endoscopia ginecológica."

Luís Ferreira Vicente faz, aliás, questão de lembrar que a última vez que o Congresso da Sociedade Europeia de Ginecologia Endoscópica decorreu em Portugal, em 2001, foi organizado exatamente por Alberto Fradique.

Assim, considera que o trabalho desenvolvido de forma consistente permite agora às gerações atuais "terem acesso a técnicas minimamente invasivas na sua formação, um panorama que se deve a uma geração de médicos que apostaram na sua divulgação, e que merecem não ser esquecidos".

2 anos de espera: um congresso muito desejado

Programado inicialmente para 2020, "e depois de vários meses em que participámos na elaboração do programa, em conjunto com o Conselho cientifico da Sociedade Europeia", este congresso acabou por ser cancelado devido à pandemia da covid-19.

Em 2021 o congresso decorreu em Roma, e, neste momento, "já retomámos a preparação do Congresso de 2022 em Lisboa", afirma Luís Ferreira Vicente, sendo esta, portanto, "uma reunião muito desejada".

Um palco privilegiado

Luís Ferreira Vicente, que assume igualmente o cargo de vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Medicina de Reprodução, chama ainda a atenção para o facto deste evento ser "uma oportunidade única para os médicos Portugueses marcarem a sua presença num congresso Europeu, a realizar-se em casa".

E avança com uma novidade: "Vamos também programar uma Reunião englobada no congresso, de carater Ibero-americano. Procuramos envolver os colegas de Espanha e Brasil, com os quais a Sociedade tem mantido excelentes relações."

E sublinha: "Temos um palco privilegiado que é Lisboa, que nos ajudará a que este Congresso venha a ser um sucesso."

Fonte: justNews

Desenvolvido por Sartor Seven