A Nossa Missão

O desenvolvimento de uma especialidade.

A SPG é uma associação científica, sem fins lucrativos e de utilidade pública, comprometida com a promoção da Saúde em geral e da Mulher em particular e com a defesa e concertação de todos os Ginecologistas Portugueses.

Assumindo na plenitude o espírito empreendedor, dinâmico e seguramente inovador que sustentou a sua criação há já mais de 40 anos, a SPG mantém como missão o estímulo ao desenvolvimento da Especialidade nas suas diferentes e múltiplas facetas, como o exercício profissional, mas também com os aspectos relacionados com a dimensão ética, académica e social.

Assim tem como papel:
– Promover o desenvolvimento da Ginecologia ao serviço da saúde da mulher;
– Estimular a investigação no domínio da Ginecologia;
– Difundir ideias, promover a atualização de conhecimentos e trabalhos de Ginecologia;
– Promover contactos e o intercâmbio nacional e internacional entre os diversos profissionais ligados à especialidade;
– Desenvolver atividades educacionais no domínio da Ginecologia;
– Exercer atividades de consultadoria no campo da Ginecologia.

ORGÃOS SOCIAIS

Direção

  • Presidente
    PROFª DOUTORA TERESA MASCARENHASPorto
  • Secretária Geral
    DRª MARGARIDA MARTINHOPorto
  • Tesoureira
    DRª LIANA NEGRÃOCoimbra
  • Vice-Presidente
    DRª ALMERINDA PETIZPorto
  • Vice-Presidente
    PROF. DR. JOSÉ ALBERTO MOUTINHOCovilhã
  • Vice-Presidente
    DRª FÁTIMA FAUSTINOLisboa
  • Vogal
    DR. PEDRO VIEIRA BAPTISTAPorto
  • Vogal
    DR. NUNO NOGUEIRA MARTINSViseu
  • Vogal
    DR. JOSÉ REISLisboa

Assembleia Geral

  • Presidente
    DR. ALBERTO FRADIQUELisboa
  • Secretária
    DRª GRAÇA RAMALHOVila Nova de Gaia
  • Secretária
    DRª EUNICE CAPELAFaro

Conselho Fiscal

  • Presidente
    DR. ALEXANDRE MORGADOPorto
  • Vogal
    DR. MÁRIO OLIVEIRAAveiro
  • Vogal
    DRª ANA LUÍSA RIBEIRINHOLisboa

HISTÓRIA

Os precursores da Sociedade Portuguesa de Ginecologia

A 19 de Janeiro de 1954 foram aprovados por despacho ministerial os Estatutos da Sociedade Portuguesa de Obstetrícia e Ginecologia (SPOG), a primeira sociedade científica criada em Portugal no âmbito da Obstetrícia e da Ginecologia.

Entre 1954 e 1975 a atividade organizada, no âmbito de uma sociedade científica, era da exclusiva responsabilidade da SPOG. Assim, tem toda a justificação citarmos a reunião da SPOG, em conjunto com a Sociedade Portuguesa de Pediatria, que decorreu em Coimbra nos dias 4 e 5 de Julho de 1970, de cujo programa destacamos uma sessão dedicada ao “Endométrio” (moderada pelo Professor Ibérico Nogueira), na qual participou maioritariamente a “Escola de Ginecologia de Coimbra”. Curiosamente o programa da reunião incluía 6 temas, sendo cinco dedicados à obstetrícia e neonatalogia e apenas um à ginecologia.

Até finais do século XIX, o ensino e a prática da Ginecologia exercia-se de forma não autónoma no âmbito da Cirurgia. Em Coimbra, em 1905, o Professor de Anatomia e Cirurgia, Sousa Refóios, fundou a “Clínica da Mulher” que dirigiu. Mais tarde a direção desta Clínica foi entregue aos Professores Daniel de Matos, Álvaro de Matos e Novais e Sousa.

Em meados da década de 50 do séc. XX o Professor Ibérico Nogueira assumiu o ensino e a direção do Serviço de Ginecologia dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) e o Professor Albertino de Barros o ensino e a direção do Serviço de Obstetrícia (Maternidade Dr. Daniel de Matos).

A partir dessa altura a Ginecologia atinge a sua independência, graças à visão estratégica, iniciativa e dinamismo do Professor Ibérico Nogueira, sendo reconhecida, a nível nacional, a “Escola de Ginecologia de Coimbra”. Entretanto, alguns (poucos) colegas dos grandes hospitais de Lisboa e Porto, conseguiram emancipar a Ginecologia da Cirurgia e da Obstetrícia. Foram então criados os Serviços de Ginecologia do Hospital de S. João (1959), da Maternidade Júlio Dinis e do Hospital de Sto. António, no Porto. Em Lisboa manteve-se, no Hospital de Santa Maria um serviço conjunto de Obstetrícia e Ginecologia, e na década de 60 foram criados serviços separados de Ginecologia e Obstetrícia na Maternidade Dr. Alfredo da Costa e noutros hospitais da capital.

A separação das duas especialidades, Ginecologia e Obstetrícia, passou a ser um facto consumado, inclusive a nível da Ordem dos Médicos, onde existiram dois Colégios distintos. As reuniões científicas também passaram a ser ora no âmbito da Obstetrícia, ora no campo da Ginecologia, pese embora a SPOG continuasse a realizar reuniões científicas no âmbito das duas especialidades e a participar nos Congressos Luso-Espanhol de Obstetrícia e Ginecologia.

Menu