Home › Sociedade
Dia da Anemia 26/11
Publicado a 26-11-2018

Será anemia?

Perante todos os sinais, sintomas e manifestações que a anemia e a ferropénia podem assumir, acaba por ser fácil dispersar na multiplicidade de potenciais diagnósticos. O cansaço, a fadiga, a palidez, as dores musculares nem sempre estão associados ao stresse, à correria do dia-a-dia ou ao desgaste da rotina. E se for anemia? Na semana em que se assinala o Dia da Anemia o Dr. António Robalo Nunes, presidente do Anemia Working Group Portugal, alerta os profissionais de saúde para a doença que afeta 20% dos portugueses faça parte das suspeitas na hora de fazer o diagnóstico.

Clique aqui para saber mais.

 

"Nem sempre as mulheres valorizam a perda de sangue"

No que respeita à anemia e à deficiência de ferro, as mulheres em idade reprodutiva representam uma população mais vulnerável, tendo em conta as perdas de sangue associadas à menstruação, mas também nas situações de gravidez e pós-parto. A Dr.ª Fernanda Águas, presidente da Sociedade Portuguesa de Ginecologia, explica de que forma estas situações podem ser prevenidas e tratadas e alerta para a valorização dos sintomas. Até porque, para poder cuidar dos outros, a mulher tem de aprender a cuidar de si.

Clique aqui para saber mais.

Sociedade Portuguesa de Patologia Clínica reforça norma da DGS sobre avaliação e tratamento da ferropénia. A Sociedade Portuguesa de Patologia Clínica, em estreita colaboração com o Anemia Working Group Portugal, identifica a ferropénia como um problema de saúde pública. A Organização Mundial de Saúde (OMS) tem emitido guidelines, desde 1977, ("Guidelines for the Eradication of Iron Deficiency Anemia"), assim como criado grupos de estudo sobre o tema. A ferropénia é a principal causa de anemia a nível mundial e a deficiência nutricional mais prevalente. Com a publicação do estudo Empire, em 2016, tornou-se conhecida a sua dimensão em Portugal, tendo sido dado ênfase ao subdiagnóstico desta problemática. A SPPC reconhece a importância do tema e a problemática do subdiagnóstico pelo que reforça a necessidade de uniformização dos valores de referência. É neste contexto que faz uma síntese da abordagem laboratorial da NOC nº 30/2015 da Direção Geral de Saúde, "Abordagem, Diagnóstico e Tratamento da Ferropénia no Adulto".

Copyright © 2018 Raio-X, All rights reserved

Para mais informações: geral@raiox.pt

www.facebook.com/raiox.pt

Desenvolvido por Sartor Seven
Privacidade