Home › Sociedade
Participação recorde é sinal de vitalidade
Publicado a 10-10-2018

Com perto de 700 inscrições, o Congresso Português de Ginecologia, que decorre em Vilamoura até amanhã, domingo, é aquele que, até ao momento, reuniu mais inscrições, o que, para Fernanda Águas, presidente da Sociedade Portuguesa de Ginecologia, “constitui um sinal da vitalidade da SPG”, permitindo augurar um “futuro promissor” para a Ginecologia em Portugal.

A diretora do Serviço de Ginecologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) falava na cerimónia de abertura da 14.a edição do Congresso, que teve lugar na quinta-feira.
“A SPG tem 1242 associados e é por estes que a estrutura diretiva se esforça por atingir os seus grandes objetivos, ou seja, a formação contínua dos ginecologistas, procurando contribuir para que a Ginecologia que se pratica em Portugal acompanhe o que de melhor se faz na Europa e por esse mundo fora”, referiu, sublinhando: “O resultado a almejar será sempre atingir o nível mais elevado possível da qualidade da assistência prestada à mulher.”
Fernanda Águas fez questão de prestar homenagem a Aurélio Lopes Ferreira, um dos fundadores da SPG, membro de várias direções e presidente de honra do XI Congresso Português de Ginecologia, cuja notícia do falecimento foi recebida precisamente esta quinta-feira. Nas suas palavras, o médico foi “um dos grandes vultos da Ginecologia em Portugal”.
A especialista manifestou, ainda, publicamente o seu “reconhecimento e profunda admiração” por João Luís Silva Carvalho, presidente de honra do Congresso, que esteve sempre muito ligado à Sociedade, da qual foi tesoureiro e secretário-geral, tendo sido ainda por sua iniciativa que foi criada a Secção de Endoscopia, da qual foi o primeiro presidente.

Publicação: JustNews

Desenvolvido por Sartor Seven
Privacidade